• Roseli R. Laranja - Informativo da Lumina Saúde

Adoecer X Reflexão em Família


O adoecer pode estar relacionado a fatores genéticos, derivados da herança cromossômica ou adquiridos por intermédio da interação do seu ‘eu’ com o meio ambiente: sócio-cultural-econômico-familiar. O câncer de próstata, assim como outras doenças, pode estar ligado a um desses quadros.Os acontecimentos externos podem refletir na individualidade de cada um de formas diferentes, gerando resultados variados.

Cada pessoa ou grupo social tem um modelo próprio de sintomas, que se posiciona em relação a seus afetos angustias podem gerir inibições ou pulsões variadas, apresentando inconscientemente através do adoecer uma tentativa de desestabilização das resistências conservadoras ao se opor a mudanças.

Uma das formas de prevenir psicologicamente as doenças é, desenvolver a arte da comunicação e a arte do relaxamento. A comunicação é um dos principais veículos da interação entre as pessoas veículos da interação entre as pessoas.

O relaxamento é ter uma percepção diferenciada do nosso corpo e de nossa respiração (principal fonte de vida).

“Considero o ouvir como uma arte que devemos exercitar diariamente, pois adquirimos hábitos, e diante dos mesmos, o ouvir passa, sem perceber, a perder seu valor real. Ouvimos aquilo que queremos ouvir, isto é entendemos aquilo que queremos entender e muitas vezes não captamos o que querem nos dizer”.

Queremos ser ouvidos, portanto falamos mais do que ouvimos. Muitas vezes a carência, nos leva a praticar mais esse comportamento como forma de chamar atenção, diz a psicóloga Roseli Rodrigues Laranja.

Esta falha de comunicação poderá levar as pessoas a dificuldades em verbalizar o que estão sentindo, por medo de provocar sentimentos mútuos de inadequação, iniciando um processo de pouca fala; ou seja passa a apresentar na sua capacidade criativa de expressar seus sentimentos, suas emoções, desenvolvendo um autocontrole diante de seu contexto sócio-cultura-econômico-familiar.

O saber respirar faz parte da existência do ser humano, devendo ser cuidado e praticado diariamente. Aprender a respirar de forma relaxada irá prevenir algum tipo de falência nos órgãos do corpo humano, auxiliando na manutenção e conservação. Quando respiramos levamos o oxigênio para a circulação sanguínea que tem função importante no funcionamento dos órgãos do corpo humano. Além de praticar esportes, trabalhar, estudar, temos que exercitar o respirar com harmonia. Existem técnicas e exercícios para aprender a respirar e, por conseguinte aprender a relaxar.

Ao mascarar seus sentimentos e emoções poderá “através do adoecer” uma crise existencial entre o que idealiza (o que gostaria que tivesse acontecido no passado); ou seja não consegue atuar no presente devido à sua dificuldade em se comunicar, compreender ou seja se fazer compreender no presente.

Algumas pessoas autônomas, muitas vezes apresentam um comportamento independente demonstrando uma capacidade auto-suficiente, achando que pode dar conta de tudo e de todos, preocupam-se em não dar trabalho e mostram-se disponíveis e solícitos (não sabem dizer não para o outro) e não conseguem perceber seus sentimentos de fragilidade diante de algumas situações. Devido à sobrecarga da responsabilidade e cobranças internas ou externas, surge o estresse e adoece.

Ao adoecer, irá apresentar um sintoma negativo, estará expressando, inconscientemente, um pedido de colo, na tentativa de se tornar dependente de forma negativa. Diante da dificuldade de expressar seus sentimentos na forma verbal, não consegue se fazer entender, ou ainda o outro também poderá ter dificuldade de ouvi-lo ou de dar atenção e o suporte que necessita. A independência nunca é absoluta. Nos relacionamos com o meio ambiente de formas interdependentes.

O corpo fala por nossos sentimentos e emoções, apresentando no físico “o adoecer” como um sinal de algo que esta falhando no seu “Eu”. É como se fosse um automóvel apresentando falhas em sua mecânica, se não for lhe dando à manutenção que necessita.

A fala do paciente, muitas vezes “denuncia” o que levou ao adoecer, mobilizando-a refletir sobre seus sentimentos e conflitos, sua maneira de viver, postura, dinâmica, perante seu relacionamento sócio-econômico-cultural-familiar; ou seja nessa falha de compreensão mútua, poderá “projetar” no adoecer nas neuroses do meio ambiente que vivencia. É como se o paciente funcionasse como uma esponja, absorvendo as energias negativas de todos, não conseguindo devolvê-las para o meio, através do falar, retendo-as em seu físico. Portanto, todos os envolvidos (amigos e familiares), também necessitam refletir diante da situação, observando, individualmente, qual é o seu papel nesta dinâmica de relacionamento.

Existe a expectativa de que o paciente tenha paciência e se submeta ao tratamento sem questionamento, para que as perguntas e respostas sejam evitadas. O paciente poderá regredir, racionalizar ou negar a doença para minimizar sentimentos negativos de: dependência, desvalorização, limitação, fragilidade privacidade invadida,culpa ,medo, de retaliação, perda do controle físico e de suas funções, impedindo – o de viver como antes. Poderá também,

apresentar comportamento de isolamento para evitar o assunto da doença e poupar a todos e a si próprio frente à dificuldade de expressar seus sentimentos de culpa, raiva, revolta, inveja, medos, desesperança, insegurança, etc.

Os medos da morte e da separação provocam desejo de ter alguém próximo ,que lhe transmita tranqüilidade, respeito, atenção e, principalmente, compreensão, já que existe a possibilidade de dificultar em se comunicar em sentido amplo da expressão de seus sentimentos.Saber ouvir suas queixas e preocupações do ponto de vista do paciente, entender seus medos e ajudá-lo a entender e enfrentá-los .Enfim ,lentamente respeitar seu tempo emocional e suas sensações e se fazer sentir, respeitar o seu novo modo de ver, sentir vivenciar a vida, respeitar o renascimento do se “Eu interior”.

O paciente passará a refletir sobre essas mudanças ,necessitando reeducar seu comportamento físico e emocional para sua nova forma de viver as relações.

Deverá receber ajuda para aprender a se relacionar de modo interdependente .Deverá ser confortando,ajudando na hora de tomar consciência do motivo que o levou a adoecer e o significado disto em sua vida,observando os pontos positivos que poderão levá-lo a exercitar uma nova forma de viver .Aprender a relaxar diante dos compromissos e responsabilidades, entendendo que é possível praticá-los conjuntamente.

Informativo Trimestral da Lumina Saúde com a participação da Psicóloga Roseli R. Laranja

Edição Agosto /Setembro /Outubro – 2004

#Saúde #Bemestar #Psicoterapia #Psicologia #Adoecer #Familia #Reflexão #refletir #genetica #doençasgeneticas #prevençãodedoenças

44 visualizações

ZONA SUL - SP

Av. Bosque da Saúde, 1061 - sala 112

Ed. Stella Offices

Jardim / Vila da Saúde

Contato Whatsapp Psiconergia Clínica | Zona Sul SP